ZOIANDO

sábado, 29 de outubro de 2016

O PRIMEIRO PAU A GENTE NUNCA ESQUECE?


O ultimo post foi sobre o meu amigo Rodrigo, hoje falarei sobre o Robson e o primeiro pau que tive contato (de fato) Ao contrário do post anterior  narrado nos dias atuais, sou obrigado a regressar até o finzinho do século XX, especificamente nos anos 90.

Gosto de pensar no passado (tento), mas muitas vezes por mais que se esforce não consigo lembrar de muita coisa, hoje não foi diferente. Apos analisar, e analisar de novo fui como quem não quer nada puxar conversa com o meu  irmão mais velho sobre "os velhos tempos", o que foi fácil. Meu irmão é uma saudosistas que vive relembrando do passado com carinho ( com uma certa angustia as vezes), como não poderia deixar de ser gravei a conversa pra não esquecer de nada (um cara prevenido vale por meia dúzia!).

Imagens desconexas, é isso que vem em minha mente quando tento lembrar da infância, mas cheguei a uma data, partindo do pressuposto que acabara de me mudar para um casarão que pertencia a os meus avós em 94 e que depois de um tempo chegou um menino novo na vizinhança (enteado do meu tio). Consegui chegar a uma data aproximada, algo entre 95 e 96, foi ai que surgiu o que hoje eu sei que era os meus primeiros instintos sexuais.

Realmente, eu era uma criança entre 7 e 8 anos nesta época, e muito ingenuo,  talvez seja por isso que não consigo lembrar de muita coisa, meu pai sempre nos tratou na rédea curta, qualquer coisa que fosse interpretada como 'imoral' ou com teor sexual o chicote comia, minha mãe seguia a mesma linha, tendo ao seu favor que surra de mãe não doí! (ela não questionava as decisões do "homem da casa", realmente era outro século mesmo... kkk). Não podíamos ir pra casa de amigos, jogar bola, subir em arvores, brincar de pega pega, em fim, não podíamos fazer as mesmas coisas que os meninos da zona rural da nossa idade faziam e,  isso veio acontecendo até meados dos anos 99.

Depois de um tempo conheci o "menino novo" (meu primo, se assim queira), sempre fui muito ingenuo, criado em uma redoma de vidro tendo como único amigo o meu irmão e primos, esses últimos esporadicamente. Nessa época já ficava de pinto duro mas pra mim aquilo era igual a senti formigamento na perna, normal e sem maldade alguma.

Ontem mesmo estava lembrando dele, como será que ele estar, fui bisbilhotar no facebook de algum amigos em comum e nada, talvez ele use um outro nome assim como eu! Mas continuarei a caçada... Robson é o nome dele (nome fake, como já falei no texto anterior), o conheci provavelmente no fim de 95, como eramos vizinhos logo nos tornamos amigos, quando íamos passear eu e a minha mãe ele sempre ia junto, era um segundo irmão, era tanta a consideração que eu gostava mais dele que dos meu próprio irmão. Certa vez fomos brincar em uma jaqueira que tinha atras de casa e eu não sei como (não consigo lembrar) Só sei que estávamos pelados  sarrando um pau no outro, não sei explicar como começou, o por que  nem como acabou aquilo, sei que durou quase o ano todo que ele foi o meu vizinho.

Robson foi o único homem que senti nas mãos, o único que senti junto a mim mesmo que não consiga mais lembre nitidamente, mesmo que inocente, mesmo sem saber o que estava fazendo e até mesmo sentindo, eu gostava... Por se um menino da cidade e ter sido criado por diferentes pai ele já tinha um certo entendimento do que estava fazendo, ao contrário de mim, mas o que é bom acaba logo, e foi o que aconteceu quando o meu tio se separou da mãe do Robson e eles foram moram em cidades diferente. E é assim, desde o século passado que não o vejo.

Eu sou o Pedro. E esse foi mais um; "O Grande Masturbador".
Todo Sábado as 08h00 da manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui!

8 comentários:

  1. Historia divertida... acho que muita gente tem historias divertidas para contar, com primos, com tios, irmaos....

    ResponderExcluir
  2. Faz-me falta estás histórias de infância, não tive nenhuma.
    Ficam na memória mas nunca sabemos se foi gay ou apenas tesão de criança

    ResponderExcluir
  3. A primeira vez a gente nunca esquece!!!

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Obrigado pela visita lá no meu blog! Volte sempre que quiser!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Poxa, sempre legal essas lembranças sobre descobertas!
    Tive um amigo que também me apresentou todo um mundo novo...
    Muito legal teu texto!

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  6. Também sempre fui inocente na infância, lembro de algumas brincadeiras com meu primo e não entendia o que estávamos fazendo de errado.

    ResponderExcluir
  7. Gostei do conteúdo que vc aborda do no blog. Muito interessante. Pena o meu blog não ser assim!

    ResponderExcluir

COLECIONANDO FORAS

< POSTAGEM ANTERIOR - PRÓXIMA POSTAGEM >  No post anterior relatei sobre alguns esquemas que estavam em andamento, e o resu...