ZOIANDO

sábado, 29 de outubro de 2016

O PRIMEIRO PAU A GENTE NUNCA ESQUECE?


O ultimo post foi sobre o meu amigo Rodrigo, hoje falarei sobre o Robson e o primeiro pau que tive contato (de fato) Ao contrário do post anterior  narrado nos dias atuais, sou obrigado a regressar até o finzinho do século XX, especificamente nos anos 90.

Gosto de pensar no passado (tento), mas muitas vezes por mais que se esforce não consigo lembrar de muita coisa, hoje não foi diferente. Apos analisar, e analisar de novo fui como quem não quer nada puxar conversa com o meu  irmão mais velho sobre "os velhos tempos", o que foi fácil. Meu irmão é uma saudosistas que vive relembrando do passado com carinho ( com uma certa angustia as vezes), como não poderia deixar de ser gravei a conversa pra não esquecer de nada (um cara prevenido vale por meia dúzia!).

Imagens desconexas, é isso que vem em minha mente quando tento lembrar da infância, mas cheguei a uma data, partindo do pressuposto que acabara de me mudar para um casarão que pertencia a os meus avós em 94 e que depois de um tempo chegou um menino novo na vizinhança (enteado do meu tio). Consegui chegar a uma data aproximada, algo entre 95 e 96, foi ai que surgiu o que hoje eu sei que era os meus primeiros instintos sexuais.

Realmente, eu era uma criança entre 7 e 8 anos nesta época, e muito ingenuo,  talvez seja por isso que não consigo lembrar de muita coisa, meu pai sempre nos tratou na rédea curta, qualquer coisa que fosse interpretada como 'imoral' ou com teor sexual o chicote comia, minha mãe seguia a mesma linha, tendo ao seu favor que surra de mãe não doí! (ela não questionava as decisões do "homem da casa", realmente era outro século mesmo... kkk). Não podíamos ir pra casa de amigos, jogar bola, subir em arvores, brincar de pega pega, em fim, não podíamos fazer as mesmas coisas que os meninos da zona rural da nossa idade faziam e,  isso veio acontecendo até meados dos anos 99.

Depois de um tempo conheci o "menino novo" (meu primo, se assim queira), sempre fui muito ingenuo, criado em uma redoma de vidro tendo como único amigo o meu irmão e primos, esses últimos esporadicamente. Nessa época já ficava de pinto duro mas pra mim aquilo era igual a senti formigamento na perna, normal e sem maldade alguma.

Ontem mesmo estava lembrando dele, como será que ele estar, fui bisbilhotar no facebook de algum amigos em comum e nada, talvez ele use um outro nome assim como eu! Mas continuarei a caçada... Robson é o nome dele (nome fake, como já falei no texto anterior), o conheci provavelmente no fim de 95, como eramos vizinhos logo nos tornamos amigos, quando íamos passear eu e a minha mãe ele sempre ia junto, era um segundo irmão, era tanta a consideração que eu gostava mais dele que dos meu próprio irmão. Certa vez fomos brincar em uma jaqueira que tinha atras de casa e eu não sei como (não consigo lembrar) Só sei que estávamos pelados  sarrando um pau no outro, não sei explicar como começou, o por que  nem como acabou aquilo, sei que durou quase o ano todo que ele foi o meu vizinho.

Robson foi o único homem que senti nas mãos, o único que senti junto a mim mesmo que não consiga mais lembre nitidamente, mesmo que inocente, mesmo sem saber o que estava fazendo e até mesmo sentindo, eu gostava... Por se um menino da cidade e ter sido criado por diferentes pai ele já tinha um certo entendimento do que estava fazendo, ao contrário de mim, mas o que é bom acaba logo, e foi o que aconteceu quando o meu tio se separou da mãe do Robson e eles foram moram em cidades diferente. E é assim, desde o século passado que não o vejo.

Eu sou o Pedro. E esse foi mais um; "O Grande Masturbador".
Todo Sábado as 08h00 da manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui!

domingo, 23 de outubro de 2016

SONHEI CHUPANDO MEU AMIGO


Olá eu sou o Pedro. Tá bom, quem leu o post anterior sabe disso (se ainda não leu clique aqui). Já que estamos mais íntimos (digamos assim), Vamos nos aprofundar mais um pouco; Sou do Nordeste, o segundo de cinco irmãos (sendo dois homens e três mulheres) Moro na capital paulista desde 2010 onde cheguei sem pretensão alguma, adepto do "o que vier é lucro" assim permaneci, nesses seis anos não houve grandes mudanças que mereçam destaque, eu acho!

Pouco mais de seis meses aqui resolvi sair do armário para o meu irmão (ele tava no Nordeste e é mais velho que eu dois anos), o tempo passou e a oportunidade também, e foi quando ele veio morar com a gente que o armário se fechou novamente. Pois vendo a sua forma debochada de ser percebi que a cruz era mais pesada do que aparentava, não que ele seja homofóbico, é que a minha família tem uma veia humorística muito ativa, aquele humor negro que não perdoa nem deficientes (não que levem isso para o mundo, mas nas rodas de amigos e parentes, a "piada" rola solta), foi ai que percebi que não estou pronto pra ser a piada.

Mas hoje eu não vim falar sobre isso, é que noite passada tive um sonho "maravilhoso" com um amigo. Vou da lhe o nome de Roberto (Os nomes dado a os personagens serão fake pra preserva a minha identidade; Detalhe, a inicial de cada nome corresponde a inicial original, exceto o meu que o original inicia-se com "J"). Conheci o Roberto no trabalho, já fazia mais ou menos um ano que eu estava lá ai o roberto chegou com mais uma par de novatos. Ele é um negão alto de uns 20 a 21 anos, a principio não dei bola, afinal não curto negros... (Tenho receio devido a crendice popular a respeito do seu monumento) nem novinhos. Com o tempo tornamos amigo e as nossas conversas eram sempre sobre muita sacanagem, sabe aquela conversa de hétero, pois bem, era essa a nossa conversa... (se é amigos a única coisa que podemos ser, estou disposto a aceitar todos os onus e bônus). sim o Roberto é hétero.

O Roberto é de Paraisópolis e ao contrário de mim adora um rabo de saia e cair na noite e por  consequência pegar algumas novinhas, e é sobre essas novinhas 50% das nossas conversas. Como tinha sido a noite anterior e o resto vocês podem imaginar...

Me peguei várias vezes a imaginar um negão daquele fodendo, aquele um metro e setenta todo trabalhado na academia deveria ser uma máquina de prazer, suas coxas grossas e bumbum empinadinho fazem par perfeito com a mala que carregava balançando entre as pernas e pra acabar no meu setor não tinha cara mais cheiroso que o Roberto. Apesar de não parecer o Roberto estava na minha lista de "talvez positivo", sim eu elaboro mentalmente na rua uma lista de crush pegáveis (não que eu tenha coragem de abordar). Dia desses falo sobre essa lista.

Não é que noite passada sonhei chupando o Roberto! Que pena que era apenas um sonho, sentir o gosto do Roberto mesmo que fictício foi incrível, sentir aquele caralho babando na minha boca, sentir que aquele macho era só meu foi melhor que eu poderia imaginal (olha que foi só um sonho, mas fico imaginando se na real é tão bom chupar um pau assim? Deve ser, se não qual é a explicação para essas pessoas que vemos tão felizes na rua, é muita piroca! Mas assim como a sinedrela, o sonho tornou-se realidade, é a realidade é cruel, me acordei todo molhado e sem nem um resquício de porra na boca, só na cueca...

Eu sou o Pedro. E esse foi mais um; "O Grande Masturbador".
Todo Sábado as 08h00 da manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui!

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

PEDRO COM PÊ


Sabe aquelas crises existenciais que batem e depois se vão? Estou passando por mais uma! A mais grava talvez tenha sido entre 2007 e 2008 (não me lembro muito bem, lembro que estava no ensino médio). Foi uma das maiores angustias que passei, foi devastador!!!  (não, não deixei de me alimentar, muito menos tentei o suicídio - Perdoe-me não tenho colhão pra isso!). Acontece que está batendo novamente aquela angustia, tá bom, talvez seja um desânimo. Pensei em desabafar lá no blog,sim eu tenho um blog meia boca (talvez, boca toda!), o espaço no qual dou voz ao meu ser que muitas vezes ninguém dá a minima (tá bom, talvez tenha exagera um pouco?) Não sei! Sei que como sou "hétero" para a sociedade (eu tento), seria impossível chegar no blog oficial, digamos assim, e começar a falar de macho.

Como os meus pais são tradicionais (seja lá o que for isso!), essa minha angustia talvez se tornasse em uma grande depressão, não eles não iriam me expulsar de casa, muito menos me bater (estou com 2.8 - não que isso sirva para alguma coisa), mas eu não conseguiria viver com a minha mãe me olhando atravessado (não agora!!!), não saberia lhe dar com as piadinhas dos meus irmãos  e primos! Enquanto isso fico eu "enganando" a minha família, eu digo que sou hétero, eles fingem (acreditam), mal sabe eles que na calada da noite me exponho na webcam para a macharada, eu sou desses!

A partir de hoje, eu Pedro (me batizei assim na rede, mas também já fui, Lucas...), Este blog nasceu para que eu desse voz as minha angustias e medos, seria o meu porto seguro, o local onde o Pedro poderia ser o Pedro, o tempo passou e eu me perdi (ainda tentando me encontrar).

Aqui contarei as aventuras de um garoto virgem de 28 anos (não ria!) na maior cidade da América latina (desconsidera o  'aventuras..."), Mas continuamos; sou tão magro quanto tímido (esquelético). Moro com os meus pais e irmãos. Meus amigos dão pra se contar nos dedos...Então é isso, depois a gente conversa mais um pouco.

Este é o meu Twitter, meu e-mail e Tumblr estão no banner do blog (detalhe, esqueci a senha do Tumblr, kkk). Abraço, a gente se vê por aqui!

Eu sou o Pedro. E esse foi mais um; "O Grande Masturbador".
Todo Sábado as 08h00 da manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui!

EU OUVI BUCETA?

< POSTAGEM ANTERIOR - PRÓXIMA POSTAGEM > Bom, minha vida sexual tá um pouco parada (não por opção) até porque se fosse por mim...