ZOIANDO

quinta-feira, 25 de maio de 2017

ESTOU NO CIO?



Quem acompanha o blog sabe que perdi a virgindade (vulgo cabaço) recentemente. Tá, ainda não contei como foi e com quem foi. Paciência que talvez eu conte. Todos aqui sabem que curto maduros e/ou coroas (ou deviam saber) não sei, talvez por achar que por serem experiente são mais carinhosos (e como são) e por serem paciente. Não posso ter a certeza  pois nunca sai com um novinho e nem sei se quero sair; Um que são impacientes, fora isso pesa o fato de não terem local, esse é um dos pré requisitos no meu perfil do Manhunt (sim, reativei) Mas vamos para o que interessa, que é? (dar).

Depois que o Vando me pegou de jeito parece que entrei no cio (entende-se querendo dar) vivo me masturbando mais que o habitual (desse jeito vou sumir) mas tudo bem, como toda semana ele me mandava mensagem pra gente se encontrar me contentava com as punhetas, só que essa semana ele me contactou na segunda (pra jogar conversa fora) e na terça nada (provável dia da foda), logo pensei, “hoje não tem”, mesmo assim fiz a “chuca” e esperei. Deu 13h00, 14h00 da tarde e nada, lá por volta das 14h00 ele me manda uma mensagem perguntando se eu não iria aparecer (como assim caralho?) respondi que se ele não tinha me contactado antes era porque não iria rolar, ai ele me perguntou se na nossa conversa do dia anterior não tinha fica explícito (como assim explícito) se um cara não te manda mensagem no dia da foda é porque ele não quer te comer, pelo menos é isso que entendo.

Foi nessa de “ficou explícito” que marquei e na hora nada, duas foram com o Willian e a outra com o Miguel (que falarei adiante). Sei que deveria ter lhe contactado antes e mandado mensagens pela manhã daquele dia (isso era uma das suas cobranças, tudo só partia dele) mas passado é  passado, o ruim é que desse dia em diante ele não me mandou mais mensagens, só por birra também não vou mandar (sei que é coisa de criança, então somos duas crianças) Acho que perdi o Vando dessa vez. On line ele sempre estar, isso eu sei.

Falei foda-se e fui pro Manhunt (e quem tava lá?) o Vando, também não dei bola (mentira, tava me roendo só em supor que ele estava marcando algum esquema com outro) mas não dei bola. Tão logo recebi uma piscadela de um cara e passamos a conversar, trocamos whats e quando pensei que não estávamos trocando fotos e depois videos chat, como era inevitável marcamos de nos encontrar na quarta (no mesmo local que tomei um toco do Willian) e o pior aconteceu, fiz a bendita “chuca” pra nada, o cara falou que ficou preso em uma reunião (da pra acreditar?) detalhe ele é casado. Como já estava na merda e morrendo de raiva lembrei de um contatinho que conheci no cam4 (o mesmo disse uma vez que quando estivesse no sentou o ligasse) lhe mandei uma mensagem e tão logo ele respondeu, foi ai que lhe perguntei que poderia lhe fazer uma visita (já tava na maldade) ele falou que sim e ficamos teclando, eu todo animado pensando hoje tem (risos) quando estou próximo ele vem me dizer que é versátil-passivo, dei meia volta e falei que tinha desistido (o que fazem dois passivos juntos?) ai ele falou que tinha uns brinquedinhos mas já não adiantava mais, tinha acabado todo o tesão (brinquedo eu uso sozinho).

O casado queria marcar pra amanhã, falei que não poderia e dei qualquer desculpa esfarrapada, é que amanhã já tenho um esquema com o Miguel (sim, aquele que já me deu um toco) provavelmente farei a chuca em vão novamente, tudo isso por culpa do Vando (olha eu tentando me justificar)... Então é isso, até a próxima.

Eu sou o Pedro que não se chama Pedro, e esse foi mais um “OGM
Toda semana pela manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui.

domingo, 21 de maio de 2017

COROA PAUZUDO


A pouco mais de um mês conheci o Vando (preciso dizer que foi no Manhunt?) Acho que não!, após trocarmos mensagens marcamos de nos encontrar, dito e feito. Marcamos em um local próximo da sua residência para facilitar as coisas (se o cara tiver local já ajuda em 90%) Não sei, só de pensar em pagar motel-hotel já me desanima e muito. Mas continuando, o local acertado foi a estação praça da árvore, marcamos para o dia 04-04 entre 14h00 e 15h00, após um certo atraso depois de pegar cinco trens finalmente cheguei, subi as escadarias da estação tremendo e nervoso pra caramba. Na saída da mesma (rua Guaraú) lhe mandei uma mensagem avisando que já tinha chegado.


Ele me responde que estar estacionado em uma ruazinha e que vem ao meu encontro (como a única foto que tenho sua é do avatar do Whatsapp nem preciso dizer não sabia como ele era realmente), após me manda uma mensagem dizendo que está de verde, eu o respondo dizendo que estou de azul (o que ele esqueceu de dizer é que o “verde dele” é quase um amarelo) Aí fico eu tentando achar um cara de verde que nunca apareceu porque pra mim aquilo é amarelo, mas tudo bem. Ele se aproxima, se apresenta e me leva até o seu carro que está do outro lado da rua. Na foto ele está diferente, acho que mais novo e gordo, nada tão gritante (hoje ele colocou uma foto atual)


O vando é um coroa de 55 anos, alto e branquelo que tem um corpo legal para a sua idade (o rosto sofreu com as ações do tempo mais que o corpo), além do papo ser legal ele é paciente e atencioso (com esse eu caso hoje). No carro não deu muito pra conversar pois da estação a sua casa é rapidão. Chegando, subimos até o quarto andar e depois de batermos um papo (eu estava muito nervoso) ele ensaiou me despir na sala mesmo, me abraçando e beijando quando dei por mim estava só de cueca, já excitado ele me levou para o banheiro e despiu-se, gente que cara pauzudo, não era só grande mas também grosso (logo eu que não curto pau grande) tenho me que me machuque. Depois de tomarmos banho juntos e ele me chupar fomos pra cama e ele me levou a loucura, que cara é esse?


Após tentar me penetrar mais de uma vez ele desiste. Deitado sobre mim (tipo cavalgando) eu o penetrei (a princípio não curti, não sei é um pouco esquisito) sentir o pau imprensado é no mínimo desconfortante, ah também tenho medo de lhe machucar, sei lá! (eu sei é neura minha) ao penetrá-lo ele gozou na minha barriga e tentou me fazer gozar (o que não conseguiu). Tomamos banho novamente e ele me levou de volta até a estação com proposta de repetir a dose e foi o que aconteceu mais quatro vezes.


A última dia 16-05, repetiu-se todo o ritual que começa na sala e termina no quarto, sempre muito atencioso ele sabe o meu ponto fraco (que é orelha e pescoço) e os exploram com ninguém, ele me deixa louco, subindo pelas paredes, e como tinha prometido na última vez que iria me pegar de jeito, assim fez! Me colocou de bruços e fungando no meu pescoço ele me penetrou (nunca pensei que daria conta “daquilo tudo”) Essa mistura de dor e prazer onde o prazer se destaca é muito bom, como é bom sentir um homem dentro de você, ser um só corpo. Depois fomos para a posição frango assado (gente o que é aquilo?) O ruim é que ele estava atrasado pro trabalho e teve que gozar (eu fiquei na vontade) e sem gozar!


Quase todos os dias ele me manda mensagens (tipo Ctrl C, Ctrl V) eu o respondo com emoji ou bom dia. Nada muito sério, desde o início esse foi o combinado e assim será até que eu comece a gostar dele mas que deveria, assim como aconteceu com o Renan (terminei o nosso “bem bolado” via Whatsapp) não conseguiria lhe dá adeus cara a cara, foi melhor assim. Então é isso, e antes que me esqueça não foi com o Vando que eu perdi a virgindade, isso contarei em um futuro distante (se é que contarei) abraço e até a próxima.


Eu sou o pedro que não é Pedro, e esse foi mais um “OGM
Toda semana pela manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui

sexta-feira, 5 de maio de 2017

CALMA QUE O PRAZER NÃO É SÓ SEU


Não sei se perceberam (espero que sim) mas estou um pouco ausente, essa ausência não é por falta de assunto (vulgo conteúdo) ou tão pouco falta de tempo (estou a 12 meses desempregado) daí tenho todo o tempo do mundo, o problema é que vez e outra me bate um desânimo, desânimo esse que demora a me deixar. São nesses períodos que me sinto deslocado e por mais que tente socializar, taco um foda-se pra essa porra toda e assim vou me esquivando de tudo e todos que não quero contato naquele momento. E hoje estou nesses dias (nada nem ninguém me faz levantar o ânimo) nem a Netflix tá me animando ultimamente, mas paciência que passa.


Anteriormente foi falado que tinha saído com três cara. O cara do 101 foi o primeiro, o segundo foi o baixinho, esses dois em fevereiro, e hoje falarei do terceiro cara, e de uma das piores experiências que tive na vida, mas vamos por parte. O Edi (não lembro mais o nome dele) conheci no Manhunt (assim como conheci os outros dois) começamos a conversar e marcamos. A princípio ele me parecia um cara legal e atencioso (e foi até certo ponto), marcamos em uma padaria (trigo bom) em um determinado horário e como o busão atrasou, pelo o Whatsapp ele me falou onde descer e que rua entrar, e até mesmo o número da casa, e quem está na chuva é pra se molhar mesmo, falei foda-se e fui, detalhe; nunca o tinha visto e muito menos conhecia a região, apesar de residencial a rua era bastante esquisita, o que a gente não faz por um pau não é mesmo?


Cheguei na padaria e entrei na rua ao lado como ele tinha indicado, já eram umas oito da noite e lá estava eu em uma rua deserta e mal iluminada encontrar um desconhecido, no mínimo seria assaltado. De longe vi uma cara em um portão, ao passar pelo mesmo nem dei bola e foi quando ouço chamarem pelo meu nome, aquele só poderia ser o Edi, dito e feito, nos cumprimentamos e fui convidado a entrar e o fiz, ao chegar na sala dou de cara com uma senhora (a sua mãe) Ele falou que toma conta da mãe e por isso dificilmente sai, daí caiu a ficha, que o encontro na padaria era caó, desde o início aquele era o seu plano, me trazer pra sua casa. A senhorinha ficou na sala e subimos para o quarto.


O Edi tem 36 anos, não é bonito nem feio, é normal (apesar de ser diferente do cara da foto), No quarto ele colocou uma música e com o passar do tempo já parecíamos velhos amigos, tanto é que ele me lembra muito o cozinheiro. Sabe a casa da vovó, essas casas que tem de um tudo, do velho a modernidade? Essa era a casa! (uma bagunça quase que generalizada, e suja) A sua mãe dorme na sala (devido a mobilidade sua cama é na sala) do quarto o filho querido vê tudo que acontece na casa pelo computador, tem  câmera em tudo que é lugar (tinha uma mirando para a sua cama, esqueci de perguntar se ela estava ligada) até hoje fico me perguntando se ele nos filmou, mas tudo bem superei.


Ele tirou a roupa, e eu abaixei apenas a calça,  ele me colocou em seu colo de bunda pra cima e sentou a tapa (o que eu adoro), deu umas mordidinhas e depois ficamos de conchinha, por último o famoso fio terra, o Inácio já tinha me proporcionado esse prazer mas com o Edi foi diferente, não sei se era a sua brutalidade ou se as suas unhas estavam grandes demais, o que sei é que senti muita dor, eu tentava sair, ele me puxava de volta (deus me livre) imagino um cara daquele fodendo, deve pensar apenas no próprio prazer. Tudo isso com uma câmera virada para gente e na tela do computador a “véia” andando na sala. quer coisa mais brochante?

Então espera, tentei lhe chupar (o que não deveria ter tentado) não consegui, um cheiro forte de urina me fez dar meia volta e foi o que fiz. A essa hora ele já estava com os dois dedos dentro de mim, até ai tudo bem (só que não) tava doendo muito mas aí estava eu firme e forte e com prazer zero, mas o ápices foi quando o “infeliz” teve a ideia de me abrir com as duas mãos (com o indicador de cada mão ele me penetrou e fez força para os lados como se estivesse abrindo uma melancia ao meio) esse foi o chega, dolorido me vesti e desci, ele me levou até a porta e nunca mais o vi desde aquele 1º de março e nem o verei. Dia desses ele me mandou mensagens, e eu respondi, mas um segundo encontro não rola.


Eu sou o pedro que não é Pedro, e esse foi mais um “OGM
Toda semana pela manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça, a gente se vê por aqui

NÃO ALIMENTEM OS POMBOS

< POSTAGEM ANTERIOR - PRÓXIMA POSTAGEM > Conheci o Erick no Scruff, acho que no dia 22 de agosto, no mesmo dia ele me passou o...