ZOIANDO

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

HOMEM BRUTO


Como já disse anteriormente, não curto negões. A princípio é devido a sua fama de “cavalão”, sei que toda regra tem sua exceção, mas só de pensar em algo maior que 18 cm (meu record) dá desânimo. Não sei, pau grande é bonito de se ver e até mesmo sentir entre as mãos, mas quando o quesito é ser penetrado, definitivamente não dá. Já eu sendo ativo é indiferente ele ser negro ou não (o que nunca aconteceu). Os branquinhos me deixam louco, só de passar um branquelo por mim na rua, já fico imaginando ele na cama (e se tiver barba por fazer, eu caso!) Mas tudo bem, o assunto de hoje é exatamente esse… Negão!


Uma pequena nota de esclarecimento:
Os fatos narrados aqui (no blog)) sempre é postado após alguns dias, as vezes semanas depois do ocorrido. O motivo é não escrever no calor do momento, por exemplo: se o encontro foi bom eu provavelmente o romantizei e não me expressarei com a razão e sim com a emoção, o mesmo aconteceria se o encontro fosse ruim. Lá no Cam4 mesmo, como o usuário tá como “peovirgem” vez e outra os caras me perguntam se sou virgem mesmo, ai tenho que explicar tudo de novo… Quando este post foi publicado eu já tinha saído com mais dois caras, fora os dois fixos e os tocos! Recado dado, bora para o que interessa.


Conheci o João no Manhunt, ele é um negão gaúcho que veio pra sampa ainda adolescente, hoje ele tá com 66 anos (aparenta menos) foi casado por 17 anos com mulher e hoje é divorciado (os filhos sabem da sua condição sexual). O conheci no dia 10/06 e marcamos para o dia seguinte (ele queria para o mesmo dia) No dia seguinte (no domingo) fui o visitar em sua casa que fica a umas tres quadras da estação Faria lima (do lado da unip) ele foi me ensinando o caminho pelo celular quando dei por mim estava em frente a sua casa. Bati, entrei e ficamos conversando um pouco (ou melhor ele, eu só ouvia). Ao vivo ele não tem nada a ver com a foto que me enviou via whatsapp (já com a do perfil. é idêntico). Ficamos por um tempo só nos amassos no sofá e depois subimos para o seu quarto, diz ele que é jornalista e que já trabalhou para a folha, não duvidei, tinha um diploma pendurado na parede.


No quarto ele colocou um colchão no chão e começamos a nos “esfregar”, ele é esse tipo de homem bruto que te  joga para uma lado e para o outro, te da uns tapas e funga no seu “cangote” (até ai eu tava gostando) Como ele não curte pau, nem chegou perto do meu, já eu que adoro enchi a mão (literalmete) opau ele falou que tinha 20cm,não acho que chega a isso tudo mas como tava um pouco escuro posso estar enganado, já o saco nunca vi um daquele tamanho, minha mão ficou pequena (acho que é do tamanho do saco de um jumento). O chupei, beijei seu pescoço e mordi suas orelhas de leve, só não o beijei (só beijo de lingua quando rola química, parece frescura mas é verdade). Como ele é grande fui literalmente uma marionete nas suas mãos, ele me jogava pra todos os lados,me apertava com força que chegava a doer. Até que ele pedia pra colocar só a cabecinha (quem é que cai nessa ainda hoje em dia?) pedi pra ele por a camisinha e como ele não quis, nada feito.


Como não quis dá sem camisinha ele não quis mais me comer, a partir daí o homem virou numa fera, cada vez mais me apertando com força e mordendo com mais força ainda minha bunda, barriga, braços e pescoço. Já tava chata aquela situação (morder tudo bem,mas de leve) o cara cravou  a boca na minha orelha e não quis mais soltar, quando eu afastava com a mão ele pegava o pescoço e quando estava doendo eu tirava novamente com a mão, aí ele mordia meus dedos. Brochei na hora, nesse momento só ele tava se divertindo, no fim ele gozou em cima de mim. Nos vestimos e depois ele me ofereceu um café (agradeci, não curto café) nos despedimos e fiquei de voltar uma outra vez. No terminal Pinheiro fui ao banheiro e foi aí que percebi os hematomas no pescoço (tava roxo de uma lado a outro) por sorte estava de casaco de capuz para esconder o estrago, a orelha tava pelando e os dedos da mão doendo. Ainda bem que não transamos, imagina o que ele teria feito comigo? Em casa foi difícil mas ninguém viu os hematomas que durou mais de uma semana. Dia desses ele me chamou lá no site e falou que se eu beijasse poderíamos fazer um repeteco, pensei logo "não vai acontecer novamente".

Eu sou o Pedro que não se chama Pedro, e esse foi mais um “OGM
Toda semana pela manhã, ou assim que possível
E nunca se esqueça; a gente se vê por aqui.

6 comentários:

  1. Sexo mais bruto é legal e eu curto mas tudo tem limites não é?

    Vale como experiência...

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto muito de apertar e morder. Mas bater não é muito a minha.

    ResponderExcluir
  3. Gosto de homem bruto, de sexo burro mas como nosso amigo disse acima, tudo tem limites, se machucar e digo MACHUCAR de verdade aí não rola.

    cumprimentos.blogspot.com.br
    cumonmerobert.blogspot
    com.br

    ResponderExcluir
  4. Uuuuuaaaaauuuu Gostei da sua história! O cara é coroa e tem saco grande! Quase gozei só de imaginar.rsrs Tenho muito tesão por homens de sacos grandes e coroas.
    Infelizmente não rolou penetração,né. E você tá certo,hoje em dia não dá pra transar sem preservativos,é loucura.
    Um abração.

    ResponderExcluir
  5. Amigo.
    Só uma perguntinha: O cara da foto é o mesmo da história que você contou?

    ResponderExcluir
  6. Pegada é tudo, mas este lance de não querer usar camisinha, fala sério, o cara tá em que mundo?
    Parabéns pela sua atitude, embora no calor do tesão, tem que resistir e não ceder...

    ResponderExcluir

UMAZINHA

< POSTAGEM ANTERIOR - PRÓXIMA POSTAGEM > Acho que conheci o Chico dia 22 de agosto, não tenho certeza porque perdi o histórico...